Publicado em Questao em Debate

Pode se falar em alguma liberdade quando o assunto é a liberação de se praticar o aborto?

Nossa Igreja, por meio de seus conceituados padres, a todo tempo se manifesta sobre o assunto, segundo ela, para o aborto provocado, no ponto de vista antropológico-teológico, afirma que a pessoa humana é imagem e semelhança de Deus (Gn 1,26), e tem por vocação o chamado a participar da própria vida de Deus em Jesus Cristo. Disto seguem vários pontos:

  • Desde o momento da concepção, a vida de qualquer ser humano deve ser respeitada de modo absoluto, pois a pessoa é a única criatura que Deus quis por si mesma.
  • A “alma espiritual” de cada pessoa humana é imediatamente criada por Deus.
  • Todo o seu ser traz a imagem do criador; “corpore et anima unus”
  • A vida humana é sagrada porque desde o início comporta a ação criadora de Deus, e é chamada a permanecer para sempre em relação vital com o criador.
  • Somente Deus é o Senhor da vida, desde seu início até o seu fim, por isso ninguém, em nenhuma circunstancia, pode reivindicar para si o direito de destruir diretamente um ser humano inocente.
  • Todo o ser humano, inclusive a criança no útero materno, tem o direito à vida imediatamente de Deus, não dos pais nem de qualquer outra pessoa.
  • Em nenhum caso o aborto deve ser promovido como método de planejamento familiar.

(O QUE A IGREJA ENSINA SOBRE… padre Mário Marcelo Coelho, scj, páginas 18, 19 e 20)

A cada dia que passa vemos sempre alguns levantarem a bandeira “a mulher é dona de seu corpo, por isso deve ser livre pra escolher se quer ou não ter um filho”
ou “o homem fez e num assume, a mulher não é obrigada a carregar um fardo sozinha”, “melhor um aborto do que um orfanato ou ruas cheias de crianças pobres e famintas”.

Estes são os principais argumentos de quem ainda defende esta prática, pois bem, vamos derruba-los com apenas uma pergunta: hoje, em pleno século XXI, tem pessoas que ainda não conhece algum tipo de método contraceptivo? – E não vou entrar em detalhes dos métodos que a Igreja é contra ou a favor, e nem a questão do sexo fora do casamento com o objetivo único de prazer. E sim a questão, quem é que ainda engravida nos dias de hoje por falta de informação ou de conselhos?

Sendo assim, nenhuma gravides pode ser considerada indesejada, é, na devida proporção, o mesmo que dizer que um motorista alcoolizado não queria causar um acidente, mesmo dirigindo assim, em outras palavras, quando se assume um risco, se aceita suas possíveis consequências, sejam elas boas ou ruins. E uma gravides é uma consequência de um ato não planejado. Então, como se pode falar em  aborto, se mal conseguimos falar de agir com prudencia e pensar nas consequências?

Poderia continuar a comentar o assunto, mas este ponto inicial já é base suficiente para reflexão, assim como citei antes, também não entrarei no mérito da questão de uma gravides provocada por um estupro, ou de uma gravides de risco, pois aí seria um pouco mais complexa e não é o objetivo deste post de hoje, mas se quiser, podemos sim levantar este debate em outra oportunidade.

Então ninguém se iluda quando o assunto em questão for o aborto, um cristão que se mostra a favor ou até mesmo na dúvida coloca-se contra a sua Igreja, e se colocando contra a sua Igreja, se coloca contra Cristo, pois se põem a favor de um assassinato.

Precisamos incentivar as novas gerações a valorizar a vida, um dom que precisa ser preservado e apreciado, um dom vindo diretamente do Criador.

 

Anúncios

Autor:

Membro da Paróquia Santo Agostinho, em Contagem Minas Gerais, onde é catequista de Crisma há mais 12 anos. Foi por 4 anos, Ministro Extraordinário da Comunhão Eucarística, recentemente coordenador de Liturgia, além de passagens pelo Grupo de Jovens e do Encontro de Jovens com Cristo. Desde de que foi implantada na pastoral de Crisma uma turma exclusiva para formação de catequistas, é o principal membro formador desta turma. Por estas experiências acima e outras não citadas, é um dos membros do conselho de formação, a qual cabe a missão de coletar, selecionar, preparar, montar e atualizar todo material que será usado ao longo do curso, bem como a formação a ser passada para os catequistas, assim como quase todos os posts desta pagina são de sua autoria ou seleção, alguns inclusive são do antigo Blog pessoal QUESTÃO EM DEBATE, que em 2007 ganhou indicação por seus artigos sobre A Nova Era, e Os Erros da Teologia da Libertação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s